O TANQUE DE BETESDA João 5.1-10






INTRODUÇÃO.

            Os versículos 2 a 7 do texto envolvem a estória de um homem que se encontrava à beira do Tanque de Betesda, enfermo há trinta e oito anos, mas que mantinha a esperança de um dia ser curado de sua enfermidade, para isso aguardava uma oportunidade, ou melhor, dizendo, aguardava a ajuda de alguém. A história destaca esse homem, porque houve uma intervenção em sua vida, por parte do Senhor Jesus.

           

Vejamos os fatos.

I – O TANQUE (v. 2).

            O tanque denominava-se Betesda, cujo significado é Casa de Misericórdia. Segundo a Bíblia esse tanque localizava-se dentro dos muros de Jerusalém e era vizinho da Porta das Ovelhas, (v.2). A tradição assinala a existência de Betesda ao norte do Templo. Acredita-se que o tanque ficava a noroeste da Igreja de Santana, pois, no outono de 1888 fizeram-se escavações a uns 34 metros da Igreja e ali descobriram um tanque com cinco alpendres, que pode ser o tanque de Betesda.

            O tanque nos dias atuais pode representar a Igreja do Senhor Jesus, pois, ele continha água que curava a enfermidade da primeira pessoa que por um acaso nele mergulhasse após o movimento de suas águas. Um simbolismo perfeito da Igreja do Senhor Jesus que contém água viva – a Palavra de Deus – que cura toda sorte de enfermidade, tanto do corpo como da alma, João 4.14.

II – OS ALPEDRES DO TANQUE (v. 2).

            O texto nos informa que o tanque possuía cinco alpendres e com toda a certeza esses alpendres ficavam em torno dele, isto é ao derredor do tanque. Não temos aqui elemento adequado para mostrar de que forma eram localizados tais alpendres, mas podemos deduzir que todos eles davam entrada para o tanque.

            Conforme já me referi anteriormente, o tanque é uma boa representação da Igreja do Senhor Jesus. Nesse caso podemos representar os alpendres como os cinco continentes em que a terra se acha dividida: África, América, Ásia, Europa e Oceania. Assim como o tanque ficava entre os cinco alpendres que é uma perfeita representação da divisão da terra em cinco continentes, assim também a Igreja que fica entre esses cinco continentes, tem a função semelhante a do tanque de Betesda, que é curar os enfermos dos males do pecado, tanto físicos como espirituais, pois, a Igreja contém o antídoto contra o veneno da antiga Serpente – o Diabo.

III – A MULTIDÃO (V. 3).

            “Nestes jazia grande multidão de enfermos”

            O versículo esta se referindo aos alpendres que estavam cheios de enfermos: cegos, coxos e paralíticos, esperando o movimento das águas (v. 3) As pessoas que se encontravam nos alpendre do tanque eram pessoas privadas da visão. Eram pessoas que perderam o domínio sobre as emoções. Que diremos das pessoas que nos dias de hoje não conhecem o Senhor Jesus? Pessoas que não enxergam as bênçãos da salvação em Cristo Jesus e que desconhecem a existência da futura morada daqueles que aceitam o Senhor Jesus como Salvador?

            Havia também pessoas que eram coxas, isto é, mancas, pois, faltava-lhes parte do corpo. E, quantos não se encontram por aí assim? O pecado já lhe corroeu parte do corpo, e como uma lepra, parte da alma. O homem que vive envolvido com o pecado tem, não só o corpo, como também a mente corroída. Diz Paulo que “o fim é a perdição; o Deus é o ventre; e a glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas”, Fl 3.19.

            Existiam, ainda, pessoas paralíticas, isto é, que haviam perdido a função motora em parte do corpo, isto é, tinham parte do corpo adormecida. Quantos por aí existem que a mente está cauterizada, que é o mesmo que destruída; já não conseguem sentir qualquer emoção por erros cometidos: matam sem causa, roubam, destroem vidas e famílias. Fazem todas estas coisas como se nada estivesse acontecendo, pois, perderam a função motora da mente. São verdadeiros paralíticos.

            Hoje, nos continentes, nada é diferente. Há uma grande multidão a espera do movimento das águas na Igreja. São pessoas cujos problemas são os mesmos. Uns cegos, outros coxos, outros paralíticos. Vejamos as palavras de Paulo:

Mas que diz? A palavra está junto de ti, no teu coração; esta é a palavra da fé que pregamos, A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será confundido Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

            Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão se não há quem pregue? Rm 10.8-14.

            Prestemos atenção, agora no versículo sete: “Senhor não tenho homem algum, que quando a água é agitada me ponha no tanque”.

            Aqui, meus irmãos é que eu peço que paremos um pouco e perguntemos a nós mesmos: O que temos feito? Será que vamos deixar que o pecador diga para o Senhor Jesus a mesma coisa que aquele enfermo falou? “Ninguém me ajuda a ficar curado”

CO0NCLUSÃO.

            Desejo concluir essa mensagem com o hino 447 do Cantor Cristão, Hinário das Igrejas Batistas.



NUNCA OUVI DE CRISTO

1

Não te importa se algum dos amigos morrer
Sem ter conhecimento de Cristo?
Deixas que no juízo ele venha a dizer:
“A mim nunca falaram de Cristo?”

2

Não te importas que as almas preciosas a Deus,
Oh! Não sejam levadas a Cristo?
Pois, dirão quando Cristo vier ou talvez:
“A nós nunca falaram de Cristo!”

3

Não te importas se entrares sem jóias no céu
Por não teres trazido almas a Cristo?
Oh! Não venhas tu ser acusado de réu
Por não teres falado de Cristo”

4

Não te cales jamais, pede a Deus graça irmão,
Para dar testemunho de Cristo;
Pra ninguém no juízo exclamar com razão:
“A mim nunca falaram de Cristo”!

Coro

Não me falaram de Cristo!
Não me falaram de Cristo!
Tantos vi que salvou,
 Mas ninguém se importou
De falar-me da graça de Cristo!

5 comentários:

ANTONIO M. RIBEIRO disse...

Olá pastor.

Li seu comentário biblico, e gostei muito. Deus te abençoe em nome de Jesus.
Pr. Antonio Ribeiro

Anônimo disse...

Gostei muito do resumo Bíblico que o Pr. fez, me ajudou muito em minha célula!!! Obrigada
Kathleen Soster.

Unknown disse...

Esse tanque de betesda realmente curava ou era um simbolo ou seja o povo pençava 1 curava mais depois persebiam q nao curavq

Sherlanna Nascimento De Lima disse...

Esse tanque de betesda realmente curava ou era um simbolo ou seja o povo pençava 1 curava mais depois persebiam q nao curavq

Wesley Alves disse...

pastor muito diz que este tanque era um lugar pagão da deus afrodite porisso que jesus foi ate la,, me responde estou em duvida foi falado no curso da EBO .