SALMO 103

  INTRODUÇÃO.


Os versículos 1 e 2 deste Salmo começam com a expressão: “Bendize ó minha alma, ao Senhor”.

Antes de falar da razão, porque o rei Davi, começa este salmo com a expressão “bendize”, preciso informar o significado do vocábulo Bendizer.

Segundo o Dicionário da Barsa, bendizer é “abençoar; louvar; glorificar”.

Deixemos de lado o abençoar e o louvar e tracemos algumas considerações sobre o glorificar, porque “Bendizer é glorificar”. Nesse caso o versículo poderia ter sido escrito assim: “Glorifique, ó minha alma, ao Senhor”. Mas o que é glorificar? Você poderá responder é bendizer; é louvar. Certo. Porém eu quero mais: glorificar é dar glórias; é prestar culto ou homenagear; é honrar. Nesse caso, os versículos 1 e 2 do Salmo podem ser lidos assim: “Preste culto, ó minha alma, ao Senhor por todos os benefícios que você tem dele recebido e tudo o que há em mim glorifique o seu santo nome”.

Eu não vou citar aqui o que pode existir em você que não glorifica ao Senhor. O apóstolo Paulo recomenda: “Examine-se o homem a si mesmo” I Co 11.28. Cada um de nós deve fazer um introspectivo (que examina o interior), para verificar o que há em si que não glorifica ao Senhor. Isto é de responsabilidade de cada um.

Uma recomendação do versículo 2 é não esquecer de “nenhum dos seus benefícios”

O ser humano é dotado desta virtude negativa: esquecer-se dos benefícios recebidos, por isso, a recomendação do rei Davi à sua própria alma: “e não te esqueças de nenhum de seus benefícios”.

A seqüência do Salmo apresenta quatro atitudes da parte do Senhor: O QUE O SENHOR FAZ; O QUE O SENHOR NÃO FAZ; O QUE O SENHOR É; O SENHOR QUE CONHECE. Vejamos:
 
I – O QUE O SENHOR FAZ (3-6).

1 – Perdoa todas as iniqüidades (v.3).

Iniqüidade é falta de equidade. Equidade é retidão; é integridade de caráter. O que o texto está dizendo é que o Senhor perdoa toda falta de retidão, toda falta de integridade, de caráter. Como integridade vem de íntegro, que quer dizer inteiro; completo; puro, logo o texto está dizendo que o Senhor perdoa a falta de caráter, dando um caráter puro, honrado Is 1.18.
 
2 – Sara todas as enfermidades (v.3).

É o próprio Senhor que faz a declaração de que sara todas as enfermidades Ex 15.26; Dt 32.39. É claro que na maioria das vezes temos que recorrer ao médico, que é um ministro de Deus para tratar de nossa saúde, mas isso não significa dizer que é o médico ou são os remédios por ele receitados que curam. Estes são apenas instrumentos usados por Deus para a realização do milagre. Foi por esta razão que o salmista escreveu: “e sara todas as tuas enfermidades”.
 
3 – Redime a vida da perdição (v.4).

Redimir é o mesmo que remir, e remir é “Libertar do cativeiro pagando o resgate”. Deus nos deu o Senhor Jesus, o qual se entregou voluntariamente para que pagasse com o seu próprio sangue o nosso resgate da ruína, isto é, da vida de perdição I Pe 1.18-23. O ato da salvação é um dom de Deus que se recebe pela graça, por meio da fé em Cristo Jesus Ef 2.8.
 
4 – Coroa de benignidade e de misericórdia (v.4).

Entre outros significados, coroar é premiar e benignidade é doçura; clemência; bondade. É isto que o Senhor faz: transforma o vil pecador, o homem mau, valente, soberbo, orgulhoso em uma pessoa doce, clemente, bondosa. Não foi por acaso isso que Ele fez com o apóstolo Paulo? Fl 3.4-8.
 
5 – Faz justiça e juízo a todos (v.6).

Em sua contestação quando do anúncio que Sodoma seria destruída, Abraão perguntou ao Senhor se Ele destruiria o justo com o ímpio, perguntando a seguir: “Não faria justiça o Juiz de toda a terra?” Gn 18.25. Depois de uma série de perguntas, o Senhor da a resposta definitiva: “Não destruirei a cidade por amor dos dez” Gn 18.32. Isto quer dizer que o Senhor não destruiria a cidade se houvesse apenas dez pessoas justas ali.

II – O QUE O SENHOR NÃO FAZ (9-10).

1 – Não repreende para sempre (v.9).

Deus sempre está dando uma oportunidade de arrependimento. Quando Ele repreende faz como um pai Hb 12.5-11.
 
2 – Não conserva a ira para sempre (v.9).

A misericórdia de Deus é tal que Ele como se estivesse esquecido das nossas maldades, nos proporcionou a salvação através da morte de Seu Filho, o Senhor Jesus e declara em Hebreus 10.17 “E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniqüidades”.
 
3 – Não nos trata segundo os nossos pecados (v.10).

O escritor do livro Lamentações nos informa que se não fosse a misericórdia do Senhor, nós se quer existiríamos (Lm 3.22), é isso que afirma a segunda parte do versículo 10. “Nem retribui segundo as nossas inquidades”.

III – O QUE O SENHOR É (8, 11).
 
1 – Misericordioso (v.8, 11).

O Senhor tem compaixão de nós pela nossa miséria.

2 – Piedoso (.8).

Ser piedoso é ser compassivo e ser compassivo é ter compaixão, ser compadecido.

3 – Longânime (v.8)

Ser longânime é ter longanimidade, isto é, ter paciência para suportar ofensas.

4 – Grande em benignidade.

IV – O SENHOR NOS CONHECE (v.14).

Ninguém melhor que o autor do Salmo 139, que foi o próprio Davi, para provar que o Senhor nos conhece, basta para isso ler o versículo 16 deste salmo: “Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe, e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais iam sendo dia a dia formadas, quando nem ainda uma delas havia”.

Isto é conhecer. Deus conhece os Seus servos.

CONCLUSÃO.

Davi encerra o salmo dizendo para todas as criaturas bendizerem ao
Senhor (20-22), e por fim: “Bendize, ó minha alma, ao Senhor”.

Um comentário:

Jr.Cézar Personal disse...

Muito boa a explicação. Deus seja louvado.parabéns!